quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Dos Portais do Incógnito

Mas de desamorfismo algum resentful! Ó não, laceados hemológicos. Devemos nós, partilhantes de tal duotetrágono, destrumavar o desdoistemer da destrêstruição desquatromedida; ao desfazumer do desdoisdém e destrêstempo do desrequatrofeito? Soaring talons! Devei vós, confiscantes de tal éter, presentear a salvaguarda, ah, a doce salvaguarda, ao baixo gruelante das águas frias, ao gaiamoto meteórico, ao carnal zeusear cristalóico, ao inalmável desrecorte? Devem eles, senescais do matrimonial vencilhar, carrilhar com a impura distorção o hino que canticavam tão pátridos, tão gélidos, tão ofélios, tão gracos, cobertos de tamanho intume belicoso eslaidante? Sim, um falta.

Let the platined patch of vicarous condition derive from the caretaker whatever fruits should be taken, whatever seeds to be guarded. Ranco-lhe o olho, almensure agora o campo, a diabólica divindade, a divina diabolicidade, que te cabe! Porte o estandarte, laceado dos pés inchados, nossa arisca lidade tólica, de aqui estarmos. Para aqui estarmos. May the blindfolded enlightened spearhead our dire paths. E que tudo acabe em dó maior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário